segunda-feira, 12 de maio de 2014

Depressão: vilões


Embora a depressão seja um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares, só 4% das mulheres conhecem essa relação entre os males, de acordo com a pesquisa Sinta Seu Coração, realizada pelas revistas SAÚDE e CLAUDIA em parceira com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. Estudos mostram que o quadro de depressão pode levar à inflamação dos vasos, à formação de placas nas artérias, à pressão alta e à formação de coágulos. Todos esses fatores contribuem para a ocorrência de infartos e derrames.

Então vamos conhecer, o que deve ser evitado?

O alcool, por gerar alterações fisiológicas no trato gastrointestinal, prejudica a absorção de nutrientes como as vitaminas do complexo B, vitamina D, além de interferir em seu metabolismo e aumentar a excreção de vitamina Cmagnésiozincoselênio, podendo causar danos cerebrais

Carboidratos, a depressão está relacionada com a inflamação e com o desequilíbrio entre glicose insulina. Com ingestão de uma quantidade elevada de carboidratos, há o aumento do índice glicêmico, que por sua vez aumenta os níveis do triptofano, fornecendo um bem-estar passageiro. O consumo de carboidratos aumenta a liberação de citocinas próinflamatórias, e a inflamação do organismo tem uma relação direta com a depressão.

Açucar, em excesso, pode prejudicar o equilíbrio emocional, porque afeta a transmissão neurológica e reduz os níveis de fator neurotrófico, que é um fator de crescimento do neurônio. A consequência desse mau funcionamento cerebral também afeta os receptores de membrana da serotonina, considerada o hormônio da felicidade, podendo causar transtornos depressivos.

Carne vermelha, quando cozida, a carne vermelha forma as aminas heterocíclicas, que são substâncias indesejadas produzidas durante a exposição de alimentos a altas temperaturas, e que prejudicam uma série de funções do organismo, entre eles o bom funcionamento dos neurônios. As carnes também são fontes de aminoácidos que competem com o triptofano no cérebro e com isso diminuem a síntese de serotonina.

Alimentos industrializados, estes são os alimentos mais ricos em gorduras trans, que são tóxicas para os neurônios. Essa gordura estimula a produção de citocinas pró-inflamatórias, que gera resistência à insulina e um desequilíbrio dos ácidos graxos essenciais (ômega-3) nas membranas cerebrais.

Vamos cuidar da saúde?

Boa semana!!

Zuleide

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/http://mdemulher.abril.com.br/
Imagem: http://revistavivasaude.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e se quiser esclarecer alguma dúvida sobre tratamentos, fica vontade, estarei respondendo!