quarta-feira, 17 de novembro de 2010

III Capítulo: Cremes funcionam?





Em 2008 a revista Nova lançou, em sua edição de aniversário de 35 anos, uma campanha chamada “Eu tenho celulite”?

Colocou esta foto


Só que com photoshop...hahaha..


Bom voltando aos cremes, sempre digo que eles são coadjuvantes no tratamento.
Eles não fazem milagres, para obter algum resultado é necessário, usar o creme anticelulite aliado a uma massagem que visa melhorar a circulação, afinal eles não têm o poder de eliminar o problema, mas sim de colaborar com uma pequena parcela no tratamento.

Uma dica: no banho massageie o corpo em movimentos circulares com bucha vegetal, ativando a circulação, principalmente do bumbum.

Cremes: Os retinóides ajudam a fortalecer as camadas profundas da pele. O enfraquecimento delas seria um fator associado ao desenvolvimento da celulite. Esse fortalecimento ajudaria a manter as células de gordura mais profundamente, não permitindo que elas se insinuassem na pele, formando as depressões. Os estudos mostraram resultados ainda não conclusivos, mas parece que esses agentes têm efeito apenas nos casos de estágio inicial. Estudos futuros podem vir a mostrar algum benefício adicional, mas por enquanto eles não são recomendados no tratamento da celulite já estabelecida.

Cremes, que contem Gingko biloba, algas marinhas e centelha asiática, comercializado mostraram benefícios em longo prazo quando usados combinados com tratamentos estéticos.


Para entender melhor, vamos lá:
L-carnitina: tem como objetivo aumentar o consumo das gorduras, com isto auxilia na queima de gorduras nas regiões comprometidas pela celulite.

Castanha-da- índia: a castanha estimula a circulação cutânea e de retorno, auxiliando assim na eliminação de toxinas subcutâneas.

Centelha asiática: da mesma forma que a castanha-da-índia a centella asiática estimula a circulação cutânea e de retorno, auxiliando na eliminação de toxinas subcutâneas.

Ginkgo biloba: o ginkgo atua ativando a microcirculação, aumentando a perfusão de oxigênio aos tecidos.



Por meio do resgate destas substâncias milenares e a ajuda da tecnologia, a indústria cosmética lança a cada dia produtos mais eficazes.

Os anticelulíticos atuam sobre as disfunções do tecido conjuntivo. Suas formulações devem conter ativos para realizar três tarefas básicas: a lipólise, a drenagem e a reestruturação dos tecidos.

1. Na lipólise, os ativos estimulam enzimas a reduzir a reserva de gordura. Nesta nova categoria de ativos estão a cafeína e a teofilina – extraídas do café, chá, guaraná, cacau e mate – que degradam as gorduras e diminuem o volume corporal.

2. Na drenagem, os ativos facilitam a reabsorção dos líquidos intersticiais e eliminam as toxinas. Pode ser induzida pelo uso do remoduline, um descongestionante, que drena os tecidos e estimula a microcirculação e lipossomas biorrubine, com ação desinfectante e anti-edema.

3. Na reestruturação, os ativos induzem à reorganização do tecido conjuntivo através da regeneração celular do tecido danificado. Os ativos indicados são: a centella asiática, a elastina marinha, as glicoproteínas da soja e os complexos minerais.

Um comentário:

Seu comentário é muito importante e se quiser esclarecer alguma dúvida sobre tratamentos, fica vontade, estarei respondendo!